MAGIA DA LUA CHEIA

Um conto erótico de O BEM AMADO
Categoria: Heterossexual
Data: 19/11/2020 18:05:58

Verônica olhou para o céu …, era noite de lua cheia; ela sabia o significado daquela noite, mas, ainda temia o que poderia acontecer; da última vez, a experiência foi demasiadamente excitante, mas, ao mesmo tempo, dolorosa ao terminar. Tudo culpa de Morgana! Desde o primeiro encontro com a bruxa, a vida de Verônica virara de cabeça para baixo! Era bom! Era tudo que ela queria, mas, acabava! E isso a deixava frustrada!

Sem avisos, retirou-se para o quarto, trancando a porta, pois temia surpresas indesejáveis; tomou um banho e nua pôs-se de joelhos em frente da janela aberta, recebendo o luar prateado banhando seu corpo; fechou os olhos e concentrou-se. Sua aura começou a vibrar tomando um ritmo persistente, até que ele sentisse o calor da aura avermelhada contornando seu corpo e dele fazendo parte.

-Venha! Estou a tua espera! – mentalizou ela assim que a sincronia tornou-se perfeita.

-O que queres de mim, menina? – perguntou a entidade que materializa-se diante dela com seu olhar ferino e arguto.

-Sabe o que quero! – respondeu Verônica ainda utilizando o canal mental.

-Bah! Sei! E tu sabes que isso tem um preço! – resmungou a entidade com tom irritadiço.

-Sim, eu sei …, mas, ainda assim, eu quero! – reiterou ela mentalmente com firmeza.

-Ah! Está bem! Sua abusada! – ele respondeu ainda mais irritado – Mas, em breve, terás que me libertar desse jugo desonesto! Maldita seja aquela bruxa!

Imediatamente, Verônica viu-se atirada em um vórtice alucinante, com sua aura viajando pelo tempo e pelo espaço. E quando a viagem etérea chegou ao fim, ela retomou em parte a sua consciência. Era o quarto dele! Olhou a sua volta procurando por ele …, viu-se só; deitou na cama e aguardou.

-É você mesmo? Verônica? – disse a voz máscula, fazendo-a abrir os olhos – Pensei que você não viria nunca mais!

Com um olhar brilhante, Verônica mirou Perkins; era um homem lindo e sensual, cuja nudez viril enlouquecia qualquer mulher; mas, agora e ali, ela era a única a desfrutar de um macho tão delicioso. Ela sorriu para ele e ajeitou o corpo sobre a cama.

-Aqui estou, meu homem! – ela disse com languidez, enquanto abria as pernas – Olhe com estou úmida por ti! Vem! Vem logo!

Enlouquecido de desejo, Perkins atirou-se entre as pernas de Verônica, saboreando seu sexo quente e molhado, fazendo sua língua varrer a região, provocando orgasmos que desabrochavam um após o outro, cada vez mais intensos e caudalosos; Verônica gemia e suspirava, segurando a cabeça do parceiro, como se quisesse que ele jamais saísse dali. E foram tantos orgasmos que ela perdeu-se em meio a um torvelinho de prazer desmedido. Retomando o controle da situação, Perkins subiu sobre a fêmea, cravando seu mastro rijo em suas entranhas de uma só vez, fazendo Verônica gritar de prazer ao sentir-se preenchida por seu homem, que não perdeu tempo em dar início a uma sequência voraz de golpes pélvicos rápidos e profundos.

Embora a fornicação estivesse apenas no início, ela almejava que jamais tivesse fim, suplicando para si mesma que aquele momento se eternizasse, impedindo o curso do tempo e o fluxo do espaço, apenas para que ela pudesse estar junto dele para sempre. Nadando em sua própria seiva, Verônica gemia e se contorcia, dominada pela impetuosidade exorbitante do macho, que golpeava cada vez mais rápido e profundo.

Verônica não estava satisfeita; precisou tomar a situação, girando seu corpo sobre o dele, até que ela estivesse por cima, cavalgando o macho, subindo e descendo em desatino, sentindo o membro entrar e sair de dentro de si, provocando mais uma sucessão de prazer sem limite. Perkins aproveitou a nova posição para sugar e lamber os mamilos intumescidos da parceira e cada vez que assim agia, ouvia um gemido longo em retribuição. E com um prazer em espiral crescente, juntos o casal gritou ao atingirem o orgasmo pleno ao mesmo tempo, com Verônica sentindo a onda de sêmen quente inundar suas entranhas.

Quedaram-se inertes sobre a cama, com suas respirações ofegantes e os corpos suados; embora aquele primeiro embate tivesse chegado ao seu fim, o desejo de Verônica ainda não estava devidamente satisfeito, e por esse motivo ela aguardou apenas o necessário para que Perkins pudesse se açoitado por sua língua, fustigando o parceiro até que o apêndice, antes inerte, mostrasse sinais de revitalização.

Após muitos beijos e carícias, ela sussurrou no ouvido dele, seu desejo mais inconfessável; ele fitou seu olhar como tentando certificar-se de que era exatamente isso que ela queria; não havia sombra de dúvida. Verônica sorriu, dando-lhe as costas exibindo seu traseiro de formas sinuosas e tentadoras; tomado por uma impetuosidade insana, Perkins subiu sobre ela e passou a esfregar o membro no rego entre as nádegas suculentas.

A invasão ansiada deu-se de forma surpreendente, fazendo a jovem soltar um gritinho histérico, deliciando-se com a curra provocada; o macho passou a golpear com a mesma intensidade de antes, porém com mais ardor, sussurrando palavras obscenas em seu ouvido e mordiscando seu pescoço; Verônica gemia e usava as próprias mãos para facilitar que o intruso se opusesse com mais profundidade, rasgando a menor resistência e fazendo dela uma serva conspícua a satisfazer seu macho adorado.

Perkins estava no auge de sua tarefa abusada sem demonstrar um sinal sequer de arrefecimento, o que para Verônica era uma prova inequívoca de que não era ele que a dominava, mas sim que era dominado pela vontade mágica que Verônica conjurara e que a fazia senhora da situação. E os golpes prosseguiram ainda mais veementes e frenéticos, envolvidos por gemidos, gritos, suspiros e palavras repletas de obscenidade.

No momento em que o gozo viril sobreveio, apenas um grunhido rouco anunciou sua chegada, e mais uma vez, Verônica viu-se preenchida pelo sêmen do macho que contraía seus músculos em um esforço final para sagrar-se vitorioso no doce e sensual embate a que fora submetido muito mais por desejo carnal, mas não menos que por anseio emocional. Derrotado em todas as instâncias, Perkins arquejou, desabando sobre a fêmea que por sua vez, também mostrava-se esgotada. Dominados pela exaustão, o casal acabou por adormecer, com Verônica segurando a mão do amado sentindo o contorno do anel que pendia em seu dedo anelar …, o anel de sagração.

Um sopro frio de ar lambeu o corpo e o rosto de Verônica que viu-se retornando do transe proporcionado pela entidade conjurada, que não tardou em surgir, envolto em uma nuvem de fumaça avermelhada.

-Então, rameira, estás satisfeita? – perguntou ele com certa impaciência na voz.

-Não tanto quanto eu mereceria, mas, sim …, serviu aos meus propósitos – respondeu ela com tom de ironia.

-Então, liberte-me, agora! – disse ele em tom ameaçador – Se não o fizeres, pagarás caro por tua teimosia e inconsequência!

-Talvez mais tarde – respondeu ela com desdém – Ainda preciso de teus serviços.

Com os olhos enegrecidos faiscando de ódio, a entidade desapareceu em meio à fumaça, deixando Verônica a sós com suas doces e recentes memórias …, subitamente alguém bateu à porta; ela procurou recompor-se escondendo sua nudez e abrindo a porta. “Meu senhor! Que grata surpresa!”, exclamou ela, curvando-se em reverência ao Sumo Sacerdote, que por sua vez, estendeu-lhe a mão com o anel de sagração para que ela o beijasse.

Feliz ao ver o anel, Verônica tomou a mão do sacerdote e beijou-a com sofreguidão, sentindo um enorme prazer que transcendia ao momento, viajando por uma saborosa memória recentíssima. “O prazer é meu em ver minha dileta discípula e adorada filha!”, respondeu o homem com sorrisos. Conversaram por alguns minutos, sem que Verônica conseguisse conter a vontade de entregar-se àquele homem charmoso, sensual e desejável.

-Espero-te para o jantar, como sempre …, e não se atrase …, sabes que tua mamãe detesta atrasos – disse ele ensaiando um tom de censura prévia, seguida de um sorriso.

Assim que a porta do quarto se fechou, outra lufada de vento frio soprou pelo ambiente; Verônica olhou para trás em viu uma ave exuberante de lindas penas esverdeadas voar pela janela, pousando sobre a cabeceira da cama …, em seguida a ave passou por uma transmutação, tomando a forma humana de uma linda mulher de longos cabelos negros com o corpo coberto por uma túnica verde e tendo parte do rosto coberta por uma máscara de ouro …, era Morgana, a feiticeira.

-Menina! Estás abusando da entidade que conjuraste! Trate de libertá-la imediatamente – disse Morgana em tom solene e impositivo – Tuas estrepolias precisam chegar ao fim, em definitivo!

-Mas, minha senhora …, eu não posso! – respondeu Verônica com tom amargurado – Sem ele não posso me reencontrar com meu homem em outra esfera dimensional!

-Esse outro homem, agora, é teu pai! – vaticinou a poderosa feiticeira, apontando o dedo em riste para sua serva e aprendiz – Se é assim, conforme-se em pagar o preço por teu abuso! Está além de meus domínios …

Assim com surgiu, Morgana desapareceu, retomando a forma de ave e voando para fora do quarto de Verônica, que atirou-se sobre a cama com as lágrimas escorrendo por seu rosto e soluços abafados em sua garganta.

Do alto de uma torre, uma figura em forma de gárgula contorcia-se até tomar a forma de um Anjo da Morte; ele olhou para a janela do quarto, enquanto ouvia o sussurro da entidade demoníaca ressoando em seus ouvidos, dizendo:

-É ela! É ela! Precisas me libertar dessa filha devassa! Ela me aprisionou apenas para satisfazer seu desejo proibido pelo pai! Liberta-me imediatamente!

O Anjo não respondeu, limitando-se a suspirar profundamente.


Este conto recebeu 12 estrelas.
Incentive Bem Amado a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
21/11/2020 01:22:51
Muito boa, segue em frente sim... bj.
20/11/2020 16:16:22
Nossa a primeira história que envolve o sobrenatural que eu gosto, parabéns ao autor que conseguiu essa proeza
19/11/2020 22:42:34
A outra dimensão seria sim o passado em tempo e espaço. Gostou mesmo? Então seguiremos em frente
19/11/2020 22:30:08
Ótimo conto! Uma história diferente mas muito boa. Uma dúvida : A personagem fala que precisa da entidade para ver o amante em outra dimensão. Essa outra dimensão seria no passado? Vai ter continuação?


bebendo porra de cavalocontoerotico - incesto - corno bina hora da tranza sinto um liquido querendo sair da minha vagina,entao gozeiwww.todas.fotos.de.renata fan.pelada.sem.calcinha.mostrando.a.buceta.dela.mesmaviadinho bem afeminado de chortinho enfiado no rabo xx videos mulheres bostas scatginecologista me masturbou gostoso contosgostosa.traindo.o.marido.emcostado.no.muro.nox.videosver uma superpica estourando as pregas da travesty virjemcrente safada contosconto erótico isentocontos casada arrombada no primeiro deslisecontos erotecos garotinho no1 analporno comendo o cu da milena ceribeleO verdadeiro marido Corno . . . Simplemente adora lamber o clitoris da esposa . . . Enquanto o amante dela enche sua buceta de Porracanto erotico comi miha sogravideos porno irnao irna do xxvideosContos eróticos procurando aventura no clube de campocorno sendo enrrabado contosconto trai meu marido com meu inclino dei gostozomulhe trazando com dois hempornodoido carioca afastando calcinhaxvideo novinha negra sendo devorafa pelo negaopono. amugo. come. vabuda. da. namorada. do. amigo. xora. pau. olhaconto erotico nammulhepega outrana ponbaamenina nao agetou opau donegraocasada foi pra oficina dar pros mecanicosxvideo filhover mae dormindo sofa fica pau duro coloca na boca deladois gatoto tarado xvidioúltimos contos eróticos gaycontos gay de escravos e o filho do patrãoconto erotico gay com padrasto velho coroa grisalhoporno fodie minha entiada no cusaobaixar video de fode da muher maraviharvideo porno com muito beijo na boca de tirar o folego muita chupada na buceta fazendo gozar na lingua de tanto prazer puchao de cabelo sexo com pegada forte e brutaXxvideosrapidinhacontos eroticos rapidinha com sobrinhoMulheres na siririca dentro do carro e morador de rua olhando no pornodoidocontos eroticos- bandidos fodedoresConto erotiico meu cahoro mi estrupou quando era novinhaanne carolzinha fofinha gostoza trepano muitovídeo de novinha dançando sem calcinha e o Paysandu filmecontos eróticos de LED que gostam de consolofoto da piroca do senhor ditaoconto erotico cadela ciocontos eiroticos leilapornxvideos amador ciirica bahiavidiospornos pegando entiadas dormindoMulheres engatada e gosando com cachorros engatados nelas e um cassete enorme pulSando dentro da bucetinha ? Liliane trepando com seu cunhadoxxx acordou com o irmao botando o pau na sua bucetacontos erotico flagrado pela a sogra no banhohumilhando pau pequenocasadinha contoscontos eróticos sexo forçadobucetas beiçudas de sograempregadinha contopapai adora chupar a minha buceta enquanto fode a nossa enpregadaconto erotico entiada se pasando por dificil mas pegando fogoxxxvideos glscontos eroticos mozinhobdsm humilhaçao extrema contoconto gay com hetero na mesaconto erotico esposa gosando na rola do negrocontos bdsm enfiei uma agulha nos meus seiosContos erticos mulher caipiracontos eiroticos leilapornfotos de novihha bucetudaContos comendo a buceta da luana casadaxnxx batendo uma para o marido coletâneaXVídeos mulher que fica enfeitada com travesseiro e dá uma estudadaconto porno saiu sanguever videos de modelas a lerem contos de natal com o vibrador emcima da vaginaporno cara punhtado nervosoAs lidas esposas xvidiogay lambendo suvacocasa dos contos eroticos Alê12as morenas mais top do grelo bem roxinho transando no XVídeos bem gostosoporno fodie minha entiada no cusaowwwxxvideo novinha cu devoradorAliviando os funcionarios contos eróticosConto erotico de casada q nao se satisfaz com o pau d marido e fica com tesao d ver velho pintudobusetinha branquinha so cabesinha sarechcontos eroticos a crentinhaminos putinhos e meninas putinhas x vidios pornotopei minha prima dirmindo xxxvideocontos eróticos com fotos fodas com negros piça grandemiaesposa.trepanu