Como fodi a minha nova irmã :)

Um conto erótico de Fernando!
Categoria: Heterossexual
Data: 20/06/2013 15:55:03
Nota 10.00

Meu nome é Fernando, tenho 17 anos e moro aqui no sul do país desde que nasci. Minha família é descendente de alemães e por isso sou loiro e bem branco. Meus pais sempre foram de brigar, e há 5 anos eles finalmente se separaram. Meu pai sumiu no mundo e eu moro com a minha mãezona, sou filho único. Há três anos ela arranjou um namorado dois anos mais velho, e seis meses atrás eles se casaram. Rafael, o nome do meu padrasto, era viúvo, perdeu a esposa em um acidente de carro quando a filha do casal tinha dois anos, ou seja, 15 anos atrás. Sim, Carol tem a minha idade (dois meses mais nova).

Carol estuda na mesma escola que eu há três anos, pois ela entrou no primeiro ano do ensino médio, e foi em uma reunião escolar que o pai dela e a minha mãe se conheceram. Carol é uma menina alta, porém não tanto quanto eu. Possui um cabelo castanho bem liso que vai até a metade de suas costas. É uma das meninas mais bonitas da sala, sem dúvidas, e também uma das mais gostosas, com um par de seios que deixa muito menino babando e um bumbum bem... brasileiro!

Quando nossos pais se casaram, eles compraram um apartamento novo, e é a partir daí que começa a história. O primeiro fato interessante aconteceu justamente em nossa primeira noite na nova casa. Enquanto nossos pais estavam trancados no quarto deles (rsrs), eu desci até a cozinha para beber água, e quando fui dar a meia volta para retornar ao meu quarto, esbarrei na Carol, minha nova irmã, de toalha enrolada. Ou melhor, a toalha estava enrolada quando eu esbarrei nela, mas logo se abriu. Eu instintivamente falei um opa e me virei de costas bem rápido, sem ter nem visto os peitos dela, e a Carol pegou a toalha no chão bem rápido e deu uma risada envergonhada, falando que eu já podia me virar.

– Ainda não me acostumei - Ela falou, rindo, um pouco constrangida.

– Haha, nem eu!

– Bom, só vim beber uma água que estou morrendo de sede, estou indo tomar banho para dormir.

– Hehe, também estou indo. Ainda bem que aqui temos suíte, porque com os nossos pais trancados, na minha casa antiga só teria um banheiro sobrando.

– É, lá em casa também, e dividir banheiro ninguém merece!

Estávamos no corredor, e eu rindo e balançando a cabeça em sinal positivo olhei para a porta fechada do quarto dos nossos pais.

– Eles dividem mas também usam de uma forma bem prazerosa para os dois - Disse ela, começando a rir logo depois de falar - Se é que você me entende.

– Prefiro não imaginar esse tipo de coisa kkkkkkkkkkkk - E eu realmente não imaginava minha mãe e meu padrasto transando u_u.

– Eu também não - Ela completou logo em seguida - Mas é o que casais fazem - E riu novamente - Enfim, vou lá para o meu banho.

– É nois!

Nós éramos próximos desde o início do relacionamento dos nossos pais, mas nunca passou disso. Essa situação, porém, não demorou muito tempo para mudar, foi no primeiro fim de semana. Nossos pais viajaram para a Europa em lua de mel no início do ano, no fim de Janeiro. A viajem durou duas semanas, e durante esse período eu e Carol ficamos sozinhos em casa. Tínhamos apenas mais uma semana de férias antes de começar as aulas. Nós dois fomos juntos a uma festa que só foi o pessoal da escola, festa comemorativa do fim das férias. Saímos juntos e fomos a pé mesmo, foi a festa era no mesmo quarteirão.

Durante toda a festa, o que eu mais ouvi foi os meus amigos me chamando de cunhado, me testando. Porém, vendo-a dançar junto com as amigas, não posso negar que a minha nova irmã chamava atenção de fato. Ela estava com um vestidinho azul bem colado que realçava as suas belas curvas, e isso causava várias curvas nas calças dos meus amigos, e, por que não, na minha também. A festa foi acabando e eu fui pra casa junto com a minha irmã. No caminho, falei sobre como as notícias correram rápido e como meus amigos ficaram enchendo o meu saco durante a festa, e Carol ia só rindo, falando sobre como homem é besta.

Chegamos no prédio às duas da manhã, conversando bastante, imaginando como seria o ano escolar, fazendo planos de estudos. Quando entramos no elevador, porém, não falamos mais nada, e foi quando o marcador mostrava que estávamos passando pelo terceiro andar que aconteceu, eu me lembro bem. Eu avancei em Carol, por impulso, e colamos nossas bocas. Instantaneamente eu senti suas mãos nas minhas costas, me segurando, em sinal de aprovação, e nossas línguas começaram a se tocar. Noas bocas estavam com gosto de álcool, e o beijo estava muito bom mesmo. Carol dava umas mordidinhas no meu lábio inferior e minha mão repousava inocentemente em sua bunda. Foi quando percebemos que o elevador estava parado. Ele já havia chegado ao nosso andar e nem tínhamos percebido, apertamos o botão para abrir, e Carol tirou a chave de sua bolsa, abrindo a porta enquanto eu a abraçava por trás.

Ela rapidamente entrou, e eu fui junto, trancando a porta atrás de mim e jogando a chave em cima da mesa. Quando me virei, Carol já foi me agarrando, me beijando loucamente, e eu tirei minha camisa. Em poucos segundos, já estávamos no quarto dela, deitados na cama dela, nos beijando de forma intensa. Eu puxei o seu vestidinho colado para baixo e aqueles peitões saltaram na minha cara, pois ela não estava de sutiã (não lembro se ela tirou ou se foi à festa sem). Eu chupei os peitos dela como se não houvesse amanhã, dando leves mordidas naqueles mamilos durinhos, enquanto Carol gemia acima de mim. Então, senti a mão dela passar por baixo da minha calça, e ela começou a acariciar meu pau, por cima da cueca, apertando-o. Eu enlouqueci.

Subi um pouco e passei a lamber seu pescoço, até que voltamos a um beijo desenfreado, bem molhado e muito gostoso. Carol resolveu por sua boca em ação também, e começou a descer um pouco, beijando meu pescoço e lambendo os meus mamilos. Ninguém nunca tinha feito isso antes, e embora tenha feito cócegas a princípio, depois foi gostoso, e ela começou a descer a boca. Meu pau estava quase explodindo dentro da minha calça, ela sabia disso e quis provocar. Subiu novamente para me beijar, e eu levei minhas mãos até a sua bunda, e puxei a sua calcinha, que desceu com facilidade pelas suas coxas macias.

Aí Carol parou de me beijar e ficou erguida, por cima de mim, naquela posição de joelhos na cama, como se estivéssemos transando, porém ela estava apenas esfregando para frente e para trás a sua boceta no meu pênis por cima da cueca... apenas. Eu subi as minhas mãos até os seus seios e fiquei acariciando eles, recebendo alguns gemidos de aprovação. Eu brincava com o biquinho dos seios dela apertando a ponta de leve, então eu me levantei também, ficando sentado e abracei ela novamente, beijando sua boca e me deitando novamente, desta vez agarrado a ela. Depois de nos beijarmos bastante, Carol saiu de cima de mim, desceu da cama e tirou o vestido ali na minha frente, ficando completamente nua.

Eu estava sem reação, encantado com a cena, e a única coisa que eu pude fazer foi abrir a boca em um sorriso involuntário. Carol veio então e puxou a minha cueca, foi aí que eu voltei ao controle do meu corpo. Minha pica pulou para fora da cueca, dura feito uma barra de ferro, e eu não estava com forças pedir. Ainda bem que Carol entendeu o que eu queria. Ela desceu com a boca no meu pau de forma maestral, mexendo a língua freneticamente em torno da minha cabeça vermelha. Meu pênis tem um pouquinho mais de 17cm e não tem pelos, que eu tiro. Carol não tentava engolir tudo, mas o seu trabalho com as mãos completava o serviço no meu membro. Quando eu me sentei e peguei em sua cintura, Carol entendeu novamente o que eu queria fazer.

Fizemos um 69 intenso, com minha língua chupando toda a região daquela boceta lisinha. Eu mexia em seu clítoris com uma mão e com a outra eu apertava a sua bunda descontroladamente, enquanto enfiava o máximo que conseguia a minha língua dentro da vagina dela. Então, Carol se levantou e me mandou ficar deitado como estava, e então foi, metaforicamente, ter um papo sério com o meu pênis, que insistia em ficar de pé. Carol se deitou em cima de mim de forma que o meu pau ficou erguido por trás de sua bunda, passando pela boceta e repousando a cabecinha em cima do cu dela. Voltamos a nos beijar e Carol, usando as mãos, prendeu meu pênis no meio da sua bunda e começou a se mexer. Aquilo foi muito bom, véi!

Quando eu levei minha mão ao meu pau, mirando na entradinha dela, ela levou prontamente a mão à minha e tirou de lá, parando de me beijar.

– Isso que estamos fazendo é errado - Falou ela.

– Nós não somos irmão de sangue - Respondi rapidamente, caindo de boca nos seios dela.

– Não é disso que eu estou falando - Ela respondeu entre gemidos.

– Humm? - Falei sem tirar a boca daqueles peitos maravilhosos

– Camisinha.

– Ahh - Falei, com uma mão em suas nádegas, girando-as - Não precisa...

– Claro que precisa - Ela falou isso punhetando meu pau.

– Eu não tenho doença, você também não deve ter, vamos lá.

– Não quero uma surpresinha daqui a nove meses.

– Eu gozo fora - Falei, depois de ficar um tempo chupando os seios dela.

– Espero.

Então ela se ajeitou e pude sentir que a cabeça do meu pau agora estava em um lugar mais quentinho, e apertado. Carol começou a descer por inteiro no meu pau, e quando sentiu minhas bolas, começou a rebolar. Eu me sentia no paraíso, com minha maninha gostosa rebolando na minha pica. Eu estava com os olhos fechados e as mãos na cintura dela, e nesse momento Carol já pulava loucamente no meu membro. Eu pedi para ela parar, pois eu sabia que daquele jeito eu ia gozar em pouco tempo. Fiz ela se levantar e a coloquei de quatro. Dei uma nova chupada na xota dela e meti o pau. Depois de algumas estocadas, com o meu saco batendo nela, eu dei uma parada e ela também. Então, eu me deitei por cima das costas dela e levei uma mão ao seus seios e a outra à sua vagina.

Fiquei acariciando os mamilos alternadamente com uma mão e com a outra eu fiquei acariciando o clítoris dela. Então, comecei a fazer movimento bem lentos com o meu pau, até que não aguentei e levei minhas duas mãos à bunda dela, para segurar, pois eu comecei a meter com força. Carol estava com as duas mãos no clítoris quando eu escutei ela começar a gemer bem alto e contrair o meu pênis de leve, ela estava gozando no meu pau. Eu não aguentei, e tirei ele de dentro dela o mais rápido que pude, e despejei a minha porra na bunda dela e nas costas, em meio a gemidos vindo dos dois lados.

Sem falar nada, fomos para o banheiro dela e tomamos um banho, cada um lavando o outro. Carol ainda me pagou outro boquete embaixo do chuveiro e ficou apoiada na parede para eu meter nela novamente, e eu meti com força. Eu sei que tinha acabado de gozar, mas já me sentia novamente pronto. Depois de alguns minutos por trás dela, com a mão nos seus peitos e chupando o seu pescoço, eu anunciei que ia gozar. Dessa vez, Carol queria beber o leitinho, direto da fonte. Ela se ajoelhou e voltou a me chupar com vontade, e embora eu tenha ejaculado pouca porra nessa segunda rodada, ela engoliu tudo com um sorriso feliz no rosto.

– Cara, foi muito bom - Falou ela.

– Você não imagina a quanto tempo eu queria fazer isso - Falei.

– Devia ter pedido antes né bobão.

– Ah, sei lá - Falei, rindo.

Ainda estávamos pelados. Ela deu um selinho na minha boca e eu fui para o meu quarto. Não me dei ao trabalho de vestir um pijama e quando caí na cama, já estava dormindo. No outro dia eu acordei com aquela menina linda deitada comigo na cama, também pelada com a perna por cima de mim, e meu pau já estava fazendo força contra aquela coxa deliciosa. Eu fiquei fazendo carinho na bunda dela enquanto observava seu rostinho lindo enquanto ela dormia, e fiquei lembrando de tudo o que fizemos na madrugada, feliz por ainda ter duas semanas pra me divertir como quisesse com minha nova irmã.


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Fernando! a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/09/2013 10:55:10
Puts que conto fantástico
31/07/2013 22:58:30
Muito bom Estou iniciando um novo site e gostaria de contar com tua participação. />
22/06/2013 07:10:01
Não sei se li direito ou não. Mas não faltou comer o rabinho dela? Se esqueceu, faça como ela disse: é só pedir, bobão! Come logo e conta prá gente, viu? E com detalhes...
21/06/2013 00:03:21
mt bom!
20/06/2013 18:04:27
Muito bom. pode contar o restante das ferias.
20/06/2013 17:27:42
Ai ai...achei o conto muito bom...mas não existe isso de gozar fora não engravida..peloamordezeus!
20/06/2013 16:56:46
gostosinho
20/06/2013 16:44:01
Muito bom amigo, parabéns pelo conto e pela escrita. Tens a manha!


Xxvideo no internato da escolacontos eróticoshomen bagaça o cu de esposa rabuda com pêniscontos eiroticos leilapornVamp19-O Doce Das Suas Veias-24 . CASA DOS CONTOSver mulher gritando de tesão saindo gosminha do grilo da sua buceta grandeboquetes e bucetasconto.erotico com fotosjrelatos eróticos o padre comendo o novinhocomendo a mulher do meu cunhadobaixinha biscate se vingando do namorado com amigoConto gay policial fodido pelo marginalcontos eróticos testando reacao da esposacalcinhas casadas coroas grtando de dr no anal profundo e dptadosContos eroticos d novinha cm motorista d ubercomedor de casalChevette com tesão na sobrinhano motel o bucetao virgem cheio de pentelhos da minha cunhada solteira coroa conto eróticoconto erotico perfurando o cu da magrelaSobrinha provocou o tio de sainhas ,rabuda e axabou apanhandobroderagem conto heroticos de peludos na mao amigadotado se a mão no cu da vagabunda tá depositei o pintocontos meu filho estrupo,meu cu finju dormiconto erotico papai relou o pau em mim e eu gosteimulhermetendo a mão rodunha na bucetaContos de coroa chatagiada pelo sobrinho e gostandodotado enfia baita pirocona inteirinha dentro, magrinha gemendo sem parar com o pauzão lhe rasgando todaminha mãe tomando banho e eu não resisti e entrei dentro do banheiro e forcei ela fazer sexo.conto sexo gay maconheironovinha dando ciuminho pó dotadoConto erotico Meu marido me emprestou prum velho viuvotitia batendo punheta sobrinho rola cabeçudacHORTINHO EMFIADOeu chego do meu colégio tenho 18 anos e estou louca para transar com meu tio e meu tio tá com a piroca dura e parado para responder agora e vou deixar ele gozar no meio da minha Rachinhaabobrinha bucetinha contoconto meu mestre quer outra escravasogra punheteiravídeo de sexo cazeiro com novinha tranzando co padrasto. e ele fala pra rla fica quieta para mae não ouvircontos eróticos ai meu cuzinho tá rasgando seu pau é muito grossonovlnha dano a bunda gpstoso fotoem couchando agostosa no ônibuscasadoscontos estrupada por pivetesconto cu pique escondevideos sexo incesto filha reda calcinha pro papai fude elaengolimos rebolando de fio dentalbunda gigante puchou chotre de ladosafadinha em cima da cama com hugo e cunhadoContos de insesto. Irma gostosa e sua melhor amiga dando a buceta pro seu irmao roludo do pau grande e grosso e cabeçudo comer com vontade.velho insiste até rapaz com mussarela no pornôdei pro meu cunhadopirocudo para casal esclherconto erotico dois paus video gamemae casa dos contosXVídeos galeguinha gordurosonovinha perdendo o c***** com pai anotado x.comcabecudo guspinno porrapatroa fode com enteadose geme alto fudeno bucetas e gozando nas entradinhascontoseroticos na ilhax videos mulher lammbendo o cusinho do homem e ele gosaguri ñ aguentou pau grande, contossor bucetilhas lindas gizandoconto erotico meu marido me viu dando o cu e gostouffodendo uma barangaxvidio.com homem com caralho monstro arregac;a buceta da branquinha novinhatentou resostir as caricias da massagista mas nao .consguiu lesbicas pornodoidoconto erótico levando injeçãoestrasalhei a buceta da minha filhaxvideos 2 min. transando colados e gemendo hummmmmmsogra brasileira contará no genrogosei na sogra distraida deitada x videosmenina com raiva a rola nao emdureceSobrenatural-Contos Eroticos zdorovsreda.rucontos eroticos cnnVidios porno loirinha magra consegui colocar.um pau de 60m no cu xvidios.comkid bengala buraco na paredeconto eróticos com enteadosincesto no onibusler conto erotio descabaçando irma peludaxvdio da mulher deixou o marido dormindo e foi da para outro ater gosa na picaeu quero um vídeo acaba transando com a mulher postergando ela na cama dormindo a força e ela gritando ele comendo elaporno brasilero ela queria fujir de tanta fodanao cnseguioconto gay ele se revoltou e tomou todasmeteu esfíncter contos eroticosPica cabeçudas encaixando espertinho na xanafamilia incestuosa 1Tio e sobrinho casadoscontosvizinho olhando a vizinha afudetnovınha transando com ırmaopornodoido comi o cu da minha mulher e a vizinha tambem quizgemendo e gozando gostosas espirrar esperma longe. porno atitudiSou coroa casada os mulekes rasgaram minha calcinhanada brincando com o pau do cunhado excluída do marido pornôcontos eróticos casalConto aproveitando da fimosepilha de vestido deu bobera com papai e a pica gozou na pomba porno inosentecorroas belisca fode com sua filha