Comi como sogra e comi como ex-sogra

Um conto erótico de Caneleira
Categoria: Heterossexual
Data: 27/12/2009 21:29:29
Nota 10.00

Como as coisas são. Como é a vida.

Foi só eu lembrar de Isabel e escrever para esta casa dos contos, o que se passou entre a gente; sob o título Que saudades de minha sogra e eis que encontro Isabel na noite deste natal.

Sempre fui devoto de São Judas Tadeu, aliás a família toda.

Entrei na Igreja de São Judas para assistir a missa-do-galo. Igreja cheia de fiéis, lotada.

Eu fiquei no corredor do lado direito do altar principal, no retábulo (altar lateral) de São Benedito. Faltava pouco para começar a missa. Fiquei olhando aquela multidão, olhando os retábulos, o teto da Igreja, as coroas e as moças.

Quando olhei para o corredor do lado esquerdo, para lá dos bancos centrais e paralelos, visualizei Isabel.

Meu coração disparou, a adrenalina impulsionou a velocidade do meu sangue. Fui ligeiro para o outro lado da Igreja.

Conseguindo chegar perto de Isabel, posicionei-me atrás dela e esperei minha ansiedade se acalmar, passar.

Mais calmo, um pouco mais tranquilo, por brincadeira fui me aproximando das nadegas de Isabel. Com a rôla dura, encostei de leve; sai e encostei outra vêz, permaneci prensando a bunda de Isabel. Ela olhou para trás com uma cara feia e me viu. Abriu um enorme sorriso e me abraçou, pegou meu rosto com as duas mãos e me deu inúmeras bitocas.

Peguei uma de suas mãos e disse: - Vamos lá prá fora? Aqui está abafado.

E fomos para a calçada, onde um vento leve e fresco bafejou nossos rostos.

- Caneleira, você aqui, meu amor! Há quanto tempo. Estava com muitas saudades.

- Eu também Isabel, pensei muito em você, em nós.

Fomos andando pela calçada, não de mãos dadas, que alguém poderia ver, mas bem próximos um do outro.

-Isabel, seu marido não veio?

-Não, ele não está bem e não iria aguentar esta aglomeração.

- Vamos para um motel, Isabel?

- Um motel? Não! Preciso chegar em casa logo, não posso demorar. Tua ex-mulher está lá com o segundo marido e as crianças.

-Você já teve caso com o novo genro? Já meteu com ele?

- Que é isso Caneleira? Você foi o primeiro e único genro. Não dou liberdades assim, você sabe, você me conhece.

- É tá certo, me desculpe. Mas, e com outros homens, já tiveste casos?

-Já, você abriu meus olhos para a vida. Estão acabando com a natureza do planeta; pelo menos eu cuido da minha natureza. Graças a você, querido.

-Isabel, a missa ainda vai começar e sua duração é de duas horas. Vamos pro motel? Dá tempo!

Ela olhou para mim, olhou para o chão, olhou para o céu e disse: -Vamos.

Fiquei tão contente que peguei-a de lado e apertei-a, num forte abraço.

Chegamos no motel e depressa ao quarto, depressa nos despimos e caímos na cama. Ela ficou por cima.

Começou a dar beijinhos na minha testa, nos olhos, no nariz, deu-me um selinho, beijou meu queijo, pescoço e meus mamilos, mordiscando-os de leve. Foi descendo e segurou minha pica, que já estava latejando.

- Você lembra quando colocaste esta pica na minha boca, pela primeira vêz? Seu malvado, seu estúpido gostoso.

Com delicadeza foi movimentando, com as mãos, a pele do bichinho e com volupia enguliu tudo; subi aos céus. Apertando de leve, com os lábios, foi friccionando para baixo, para cima.

Não aguentei a mamação e esporrei dentro da sua boca e na ponta de seu nariz. Isabel estava uma loucura na arte de chupar. Quem diria.

Saí de baixo e fui prá cima de Isabel. Suguei-lhe os lábios, mordisquei-lhe as pontas das orelhas e os bicos de seus mamilos. Desci até a xana que já estava molhada. Enfiei a lingua com sofreguidão e Isabel gemeu.

-Candeleira, que saudades de ti, da tua lingua, do teu caralho. Chupa Caneleira, chupa gostoso. Caneleira eu te amo, não consigo te esquecer, Caneleira.

Fui chupando, chupando, passando a lingua nas paredes vaginais, no grelinho. Apertei o grelinho entre os lábios e amacei-o com força. Isabel foi á loucura.

-Caneleira, aí Caneleira, não aguento Caneleira, vou gozar. Aí Caneleira, Caneleira, uí Caneleira.

E Isabel gozou, gritando Caneleira.

Ela ficou inerte, peguei minha rôla e introduzi em sua buceta.

Aí Caneleira.

Beijando apaixonadamente seus lábios, com a rôla dentro de sua xana, fui até a sua orelha e enfiei a lingua. Ela deu um solavanco gostoso e falou: - Caneleira meu amor, te amo.

Em seu pé-de-ouvido, falei:

- Isabel, pare de falar Caneleira, Caneleira.

-Aí Jesus, que pica gostosa. Jesus como amo este homem. Jesus como ele mete gostoso. Mexe meu amor, mexe que estou indo á loucura. Aí Jesus, vou gozar; aí que coisa, Jesus.

Demos risada desta tirada cômica de Isabel e durante duas horas de missa-do-galo, gozamos gostoso.

Levei-a de carro até perto da Igreja e nos despedimos.

Trocamos números de telefones e não falamos sobre família, filhos e netos. Parecia que tinhamos feito um pacto silencioso.

Gosto muito de Isabel e a recíproca é verdadeira, tenho certeza disso.


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive fandangocalu a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
30/12/2009 09:41:29
Excitante


contos eroticos esguichadeiranossa to preocupado comeu a mulher do meu amigo e ela ingravidou vidio pornoContos eroticos comi minha sobrinha novinhaadorei picao do papai na minha bucetinhaXvidio mulher asusta o maridofranco e belinha zoofiliaconto gay primocontos novinha dando cu para o pedreiromorena com os pentelhos enroladinhos trepando gostosocontos eiroticos leilapornconto lavador de carro pauzudonovinhos erotizando de fio dental atoladogay bebezão putãocontos viagra matou o veio em cima da putametemulhe com homenpesquisar por mega dotado Primeiro leitinho contosfotos de grelos ichadinhosfoi tirar foto e acabou impolgando pornoxvideoa aventuras anal gay sexo anal ate goza dentro no pelo anal gayamigo picuto faz mulher d corno sangra rsescandalosa fogosa e gulosa tomando tapa na bunda pornô doidoentiada hajeita roupa cuta perto padrasto que transa com elaporno com professora gostosa e aluno tendro tá sala de aulaconros o encanador pauzudo encheu minha mulher de porraxxxvidio curto 1menuto esposa fica apavorada com pau de 30 centimetro do negaotravestd nusmamae sentou no meu colo e eu nao resistir e comi ela contos erpticoscontos: consegui convencer minha esposa ao culckoldingconto erotico meu marido mi fei gosa nu pau dum cavaloContei para meu marido que ele é um cornoamoxoxota gtacontos eroticos cnn gayzinhostravestis bem dotado sendo errabados realSexozoofilodepiladora brasileira nao aguentou ver a pica durabaixinhas Vitinho pequeno batendo siriricavideos porno caseiro a garotinha dormi e o padrasto gozou no seu cuzinho nxvideo pagePinto do filho contos eroticosgosei na sogra distraida deitada x videosvidios porno d braziliras no concuso quem cosegi beber mais pora porno doidocontos encoxando e penetrandomau encostei a penis no cuzin dela ela ja se gozou todaanuspornonovinhacasa dos contos eroticos temas broderagemcontoserot/mamae pegou eu e meu irmao brincando de medicocetona e da bundona tomando banho pelada no banheiro XVídeoporno com uma policial de chortinho no meio dos homen do batalhãoContosveridicos contados por novinhasesposavadiacontosxxvidiio massagemprica cavalaelagosou cavalgado na vara grande videosapaixonado por dois brutamontes da faculdade 12eu e minha mãe e minha irmã moramos sozinhos eu conversando com a minha mãe eu disse pra ela que eu ia tirar a virgindade da buceta da minha irmã minha mãe disse pra mim filho se você tirar a virgindade da buceta da sua irmã ninguém pode saber disso a noite eu entrei no quarto da minha irmã eu deitei na sua cama do seu lado eu dei um beijo na boca dela eu disse pra ela eu vou tirar sua virgindade da sua buceta eu disse pra ela que minha mãe já sabia que eu ia tirar sua virgindade da sua buceta minha irmã tirou seu babydool eu chupei seu peito eu disse pra ela sua buceta virgem raspadinha e linda eu comecei a chupar sua buceta virgem ela gozo na minha boca eu disse pra ela chupar meu pau ela chupou meu pau eu fui metendo meu pau na sua buceta virgem que sangro eu comecei a fuder sua buceta ela gozo conto eróticocontos eroticos de motorista pirocudo de madamefazendo o bumbum de colçhão e torada.xnnconto erotico pegando fogo de tesao insaceavel queria fuder com quaquer um tesao ejagerado demais pegandoesposa prostituta bunda flaçida e mole cuzao contosmullheres transandp com animaisporno caiçaras mae tia rabuda transando primoMathz - CASA DOS CONTOS EROTICOSconto erotico vendo.a.minha filha gemendo toquei siriricapai dei abucetaiContas de incesto mãe tarada descabacando filho a força com fotocontos eroticos de tia bolinando sobrinha menor de idadeflagrei a cunhada f****** Conto Chinêsxvideoa baxinhas de camisolarnovinha gritano gostozo paiXVídeos em família resolveu acampar na Serra SedeUm Anjo Em Minha Vida 25.2(Final)- Casa Dos Contoscontos mae rabudaloira jogando pinbolin pelada no saguão do hotelContos eroticos gays dilaurentis casa dos contosrelatos sexo chupando irmazinha 8 aninhos ate gozarmaninho nao quer me comer contosCleide a recatada contos eroticosmeninas que gota de gozada na boca pornoconto erotico mulher vira escrava sexial por chantagemve novınha fudendonomatoXvideo marido gosta de ser chamado de corno e assiste a esposa dando o culpa e tomando cervejaa dona vai ser com seu cachorrosexconto erótico escrito meu padrasto me comeu dormindo eu adorei gozei até amanhecer o diavídeo de sexo cazeiro com novinha tranzando co padrasto. e ele fala pra rla fica quieta para mae não ouvircomeu a madrasta brasileira Zinha gostosinhoconto puta cacete rola xota trepada chupar cachorraminha mulher me fez de mulhezinhaCasa dos contos eróticos perfil pluto69baixar videos porno de vacabudas rabudas negrasxvideos contosicestovideos de cornos que aguarda ansioso sua esposa voltar pra casa escorrendo porra de outro toda melada na buceta